Memórias USB são dos objectos com informação das empresas mais perdidos

Publicado em 29/05/2013 00:09 em Segurança Informática

As memórias USB são dos objectos contendo informação empresarial mais perdidos em Portugal, segundo um estudo da empresa de segurança informática Kaspersky.

O estudo, encomendado pela firma de segurança russa e realizado pela TNS junto de 1 762 responsáveis de pequenas e médias empresas (PME) de países europeus, que incluiu Portugal, indica que os objectos mais perdidos são as pastas com documentação (citadas por 46% dos inquiridos em Portugal), os carregadores de portáteis e telemóveis (44%) e as «pen» USB, citadas por 39%.

Quase um quinto (18%) das empresas portuguesas apontou os smartphones como o objecto mais perdido, 10% citaram os portáteis e 3% tablets.

A nível europeu, o estudo revela que as memórias USB são mesmo o objecto mais perdido, citado por 42% das empresas, à frente do material de escritório (41%) e das pastas com documentação (34%).

A Kaspersky afirma que a perda ou roubo de um smartphone, portátil ou tablet pode permitir o acesso à rede empresarial por terceiros, com a consequente exposição dos dados da companhia.

A Kaspersky destaca que as «pen» USB são pequenas, usam-se todos os dias e são baratas, o que explica que os trabalhadores das empresas não as valorizem tanto como outros dispositivos mais dispendiosos.

A companhia russa de segurança informática considera surpreendente a grande quantidade de smartphones e portáteis com informação das empresas que se extraviam em Portugal, segundo o estudo, com os «danos colaterais» que isso pode causar às empresas.

Ainda sem comentários