Receitas da multinacional Vodafone caíram 4,2% no ano fiscal 2013

Publicado em 22/05/2013 00:45 em Operadores / Serviços

As receitas totais da multinacional Vodafone baixaram 4,2% no exercício fiscal 2013, terminado a 31 de Março, para 44 445 milhões de libras (52 148 milhões de euros), indicou hoje a companhia.

Em comunicado de apresentação de resultados preliminares, o grupo operador de telecomunicações britânico indica que as suas receitas de serviços baixaram 4,5%, para 40 942 milhões de libras (48 038 milhões de euros ao câmbio actual).

A Vodafone indica que teve lucros de 673 milhões de libras (790 milhões de euros) no exercício 2013 e resultados operacionais ajustados de 11 960 milhões de libras (14 033 milhões de euros ao câmbio de hoje).

A Vodafone indica que tinha no fim de Março quase 404 milhões de clientes de serviços móveis, sem incluir a norte-americana Verizon Wireless, onde detém uma participação de 45%.

O CEO da Vodafone, Vittorio Colao, citado no comunicado, destaca o crescimento dos lucros operacionais, que atribui aos progressos nos serviços de dados e empresariais, aos mercados emergentes e ao bom desempenho da Verizon Wireless (Estados Unidos).

O presidente executivo assinala, contudo, que a companhia enfrenta factores adversos, que resultam de um ambiente económico difícil, particularmente na Europa do Sul, e um ambiente regulatório desfavorável na Europa.

Colao destacou que as perspectivas e longo prazo são boas, com os consumidores a pretenderem velocidades de transferência de dados cada vez maiores e as empresas a integrarem a mobilidade nas suas estratégias corporativas e salienta o êxito do lançamento do serviço Vodafone Red em 14 mercados.

O CEO salienta que a Vodafone mantém a competitividade em todos os mercados e manteve ou consolidou as suas quotas de mercado no exercício, recordando que a companhia comprou espectro radio-eléctrico em vários países e lançou serviços de quarta geração LTE em diversos mercados.

As receitas de serviços de dados cresceram 14,4% na Europa Central e do Norte e aumentaram 9,7% na Europa do Sul.

Vittorio Colao prevê que a adopção de smartphones continue a crescer em todos os mercados nos próximos três anos, com a disponibilização de smartphones de baixo custo, com aumento significativo da procura de banda larga.

O CEO do grupo indicou que a Vodafone está a adoptar uma nova estratégia de oferecer aos seus clientes uma maior liberdade de utilização das comunicações móveis e ao mesmo tempo estabilizar a receita média por cliente (ARPU), estratégia em que se integra o serviço Vodafone Red, com chamadas e SMS ilimitados e um plafond de utilização de Internet.

Revela que a companhia já tem 4,1 milhões de clientes Vodafone Red nos 14 mercados em que o serviço está disponível e espera atingir os 10 milhões de clientes daquele serviço em Março de 2014.

Colao afirma que a estratégia da Vodafone até 2015 na área das redes de telecomunicações continua a focar-se no fornecimento de serviços de dados com velocidades mais altas e o desenvolvimento generalizado da banda larga de terceira geração HSPA+ e de quarta geração LTE, continuando a investir para poder suportar os elevados crescimentos previstos nas comunicações de dados

Para o exercício 2014, iniciado a 1 de Abril passado, a Vodafone espera um resultado operacional entre 12,0 mil milhões e 12,8 mil milhões de libras (entre 14,1 mil milhões e 15,0 mil milhões de euros).

Colao indica que a regulação e o ambiente económico, particularmente na Europa, continuam a ser preocupações centrais para o operador de telecomunicações e admite que as alterações das tarifas de terminação possam significar uma queda de 2 pontos percentuais nas receitas de serviços.

Ainda sem comentários