Crise leva empresas portuguesas a reduzir custos

Publicado em 05/05/2013 01:22 em Empresas

Mais de dois quintos das empresas mostra-se «pouco confiante» (53%) ou «nada confiante» (31%) na evolução da economia portuguesa e 90% das organizações aponta a redução de custos como uma das principais medidas a adoptar, segundo um estudo da IDC.

O estudo da consultora e na analista de mercados IDC foi realizado para a multinacional de tecnologias EMC, contactando as 250 maiores empresas a actuar em Portugal, e visou analisar a relação entre os processos de transformação do negócio e os departamentos de tecnologias da informação (TI).

O papel dos administradores com o pelouro da tecnologia (CIO) divide os responsáveis empresariais, com 54% a considerar que o departamento de tecnologias deve suportar e possibilitar iniciativas de negócio mas 46% a limitar o papel dos departamentos de TI à identificação de oportunidades de negócio que possam ser iniciadas através das tecnologias, indica a IDC.

O inquérito revelou que, em média, mais de um terço (36%) do tempo dos responsáveis de TI é dedicado à sua equipa, um quarto na interacção com os outros executivos da organização e 39% à interacção com outras áreas da empresa, com fornecedores e com outros parceiros de negócio.

O estudo revelou que, enquanto as actividades mais tecnológicas (configuração de sistemas, gestão de projectos e gestão de sistemas em produção) ainda continuam a envolver principalmente o departamento de TI, mas outras como a definição e desenho de soluções, decisão sobre a qualidade das soluções e definição de soluções corporativas e departamentais, começam a ter uma responsabilidade partilhada entre os CIO e os responsáveis de negócio.

Ainda sem comentários