Malware móvel está no auge

Publicado em 22/03/2013 01:02 em Segurança Informática

O malware móvel está no auge, com novo aumento de software espião para smartphones e tablets para rastrear actividade dos utilizadores nos dispositivos infectados, fazer chamadas sem conhecimento do proprietário e enviar dados para servidores remotos, garante a Kaspersky.

A companhia russa de segurança informática salienta que desde o ano passado tem alertado para a tendência de aumento do roubo de dados de telemóveis e o rastreamento de pessoas através de serviços de localização, ou mesmo escuta através do microfone.

A Kaspersky salienta o crescimento significativo do número de programas maliciosos que roubam dados dos smartphones e tablets mas também o aumento do número de aplicações comerciais de monitorização, que muitas vezes são difíceis de distinguir do software malicioso.

Adianta que a ciberespionagem móvel começou a ganhar força em 2009 e tem tido vários episódios, com destaque para o módulo de espionagem FinSpy, desenvolvido pela companhia britânica Gamma International, que se dedica à criação de software de monitorização para organizações governamentais.

A Kaspersky indica o «Citizen Lab» descobriu em Agosto de 2012 versões móveis do FinSpy para as plataformas Android, iOs, Windows Mobile e Symbian, que podem fazer o rastreamento de praticamente todas as actividades dos utilizadores no terminal infectado, seguir o seu paradeiro, fazer chamadas sem conhecimento do proprietário e enviar informação para servidores remotos.

Vicente Diaz, analista sénior da Kaspersky, sublinha que a instalação de um software espião é mais fácil do que parece e basta o acesso aos dispositivo móvel por alguns minutos, incluindo de forma remota, se o utilizador clicar numa hiperligação («link») maliciosa enviada por correio electrónico ou SMS.

A Kaspersky assinala que no fim de 2011 quase dois terços (65%) das ameaças móveis visavam a plataforma Android mas no fim do ano passado a percentagem atingia 93,94%, sendo que 99% do malware detectado era para o sistema operativo Android.

Ainda sem comentários