Lucros da Sonaecom subiram em 2012, receitas baixaram

Publicado em 09/03/2013 23:07 em Geral

A Sonaecom, holding de telecomunicações, tecnologia e media do grupo Sonae, anunciou que os seus lucros cresceram 21,0% em 2012, para 75,4 milhões de euros.

Em comunicado de resultados, a Sonaecom indica que no quarto trimestre os lucros mais do que duplicaram, com um acréscimo homólogo (face ao mesmo período do ano anterior) de 108,4%, atingindo 11,5 milhões de euros.

O volume de negócios do grupo desceu 4,4%, ficando em 825,4 milhões de euros, uma descida que a Sonaecom explica pelo impacto negativo das tarifas reguladas, de terminação móvel (o que um operador recebe quando a chamada recebida foi gerada noutra rede) e de roaming, e pelo ambiente de austeridade em Portugal, que «tem influenciado negativamente os níveis de consumo».

O CEO (presidente executivo) da Sonaecom, Angelo Paupério, citado no comunicado, salienta que o investimento do grupo nos últimos cinco anos ultrapassou os mil milhões de euros e apesar disso o crescimento anual dos lucros em média praticamente duplicou.

Ângelo Paupério sublinha que a estratégia para a área de telecomunicações foi executada «com notável eficácia» e garante que a rede móvel de quarta geração LTE já cobre mais de 80% da população portuguesa.

Na área das tecnologias da informação (TI), Paupério destaca a compra da Connectiv Solutions, que abriu oportunidades no mercado dos Estados Unidos, e o reforço da liderança mundial da WeDo na área da garantia de receitas do sector de telecomunicações.

O presidente executivo da Sonaecom considera 2013 como «um ano de grandes oportunidades» com o projecto de fusão entre a ZON e a Optimus, «que tem decorrido de forma exemplar».

A Sonaecom adianta que excluindo os clientes das extintas e-iniciativas, a base de clientes da Optimus manteve-se estável, com a base de clientes a situar-se nos 3,57 milhões, e destaca as despesas de capital de capital (CAPEX, investimento) de 113,7 milhões de euros no ano passado.

No entanto, com os efeitos das medidas de austeridade, as receitas da Optimus caíram 5,9%, para 720,7 milhões de euros, que a empresa estima ser um comportamento menos desfavorável do que o verificado no conjunto do mercado.

A receita média por cliente (ARPU) baixou 7,2%, para 12,0 euros, principalmente devido à queda de 19,2% nas receitas de interligação, uma vez que as receitas de clientes baixaram 5,4%, indica a companhia.

As receitas de dados em percentagem das receitas totais baixaram 0,7 pontos percentuais, revela a Sonaecom.

No segmento de tecnologias da informação (TI), a Sonaecom informa que a WeDo conseguiu 30 novos clientes em todos os continentes nos sectores de telecomunicações, retalho, energia e finanças e conta actualmente com mais de 180 clientes em oito dezenas de países, com as receitas internacionais a representarem 73,1% do volume de negócios total.

As empresas Sonaecom do sector de TI aumentaram em 16,5% o seu número de trabalhadores, para 641.

Ainda sem comentários