Estados Unidos são campeões do «spam»

Publicado em 07/03/2013 01:03 em Segurança Informática

Os computadores dos Estados Unidos são os mais afectados por «spam» (mensagens não solicitadas, frequentemente contendo programas maliciosos), ainda que a maioria desse «spam» não seja desenvolvido no país, indica a empresa de segurança informática Sophos.

As estatísticas da Sophos indicam que no trimestre Dezembro de 2012/Fevereiro de 2013 os Estados Unidos regressaram à liderança dos países mais afectados por «spam».

Os Estados Unidos encabeçam a lista dos países mais afectados por «spam», com 18,3% das situações, seguindo-se a China (8,2%), Índia (4,2%), Perú (4,0%), França, Coreia do Sul e Itália, todas com 3,4%, Formosa (Taiwan) e Rússia, com 2,9%, Espanha (2,8%), Alemanha (2,7%) e Irão (2,6%).

A Sophos salienta que a Índia, que foi a mais afectada no final do ano passado, recuou para o terceiro lugar, enquanto a China subiu da metade mais baixa do «top 12» para a segunda posição.

Por continentes, o asiático é o mais afectado por «spam», com 36,6% do total, seguindo-se a Europa (27,5%), a América do Norte (22,0%), a América Latina (10,9%) e a África (2,6%).

A Sophos sublinha que a evolução não se deve à migração dos «spammers» para Ocidente mas a uma maior facilidade de comprometer os computadores dos Estados Unidos, o que diz bastante sobre o nível de protecção dos computadores norte americanos, que é fraca.

Ainda sem comentários