Sage cresceu em 2012, pelo terceiro ano consecutivo

Publicado em 24/02/2013 00:46 em Geral

O volume de negócios da Sage Portugal cresceu ligeiramente em 2012 e atingiu 12,958 milhões de euros, indicou o presidente executivo (CEO) da Sage Portugal, Jorge Santos Carneiro.

Numa apresentação à imprensa, o responsável em Portugal do grupo Sage, especializado em software de gestão para pequenas e médias empresas (PME), indicou que entre 2006 e 2012 as receitas da Sage Portugal apresentaram um crescimento médio anual composto de 10% e apenas não aumentaram em 2009.

Indicou que em 2012 a Sage em Portugal apostou fortemente no segmento de «start ups» (empresas em fase de arranque) e empreendedores, lançou um software de gestão específico para a restauração (Sage GesRest II) e o Sage Gestão Comercial e criou o novo modelo de subscrição dos seus produtos «Sage Easy».

Observou que a restauração é uma área nova para a Sage e que o «Sage Easy» consiste na possibilidade de pagar mensalmente o produto ou produtos subscritos, que são pagos apenas enquanto são utilizados.

Para 2013, Jorge Carneiro prevê lançar produtos para os serviços, incluindo uma alternativa aos antigos recibos verdes, e uma nova solução para o retalho.

Adiantou que a Sage Portugal está a trabalhar na localização para Portugal (adaptação à língua e às regras e legislação portuguesas) do software Sage One, um software na cloud com uma plataforma comum a nível mundial, que ficará disponível no país durante o segundo semestre de 2013.

Jorge Carneiro salientou que há em Portugal um conjunto de soluções para PME feitas localmente e diferentes das comercializadas nos outros países, destacando que também um produto que a Sage vende em Espanha foi desenvolvido em Portugal.

Informou que da centena e meia de pessoas que trabalham na Sage em Portugal, quatro dezenas fazem desenvolvimento de software.

O CEO da Sage Portugal afirmou que a multinacional definiu há alguns meses uma nova estratégia que passa por se concentrar e crescer naquilo que o grupo faz muito bem e desinvestir noutras áreas, o que justifica a alienação de um conjunto de produtos que não considerava «core» (central) para a sua actividade.

Jorge Carneiro adiantou que o grupo Sage, que tem crescido todos os anos desde 2006, teve receitas de 1 635 milhões de euros em 2012, das quais 946,5 milhões de euros na Europa, emprega 13 500 trabalhadores, tem 6 milhões de clientes e ocupa o terceiro lugar mundial em software ERP (Enterprise Research Planning), com uma quota de 5,9% do mercado mundial, a seguir à SAP e Oracle.

Acrescentou que a Sage é líder mundial no segmento de pequenas e micro empresas, com uma quota de 15%, à frente da SAP, Oracle e Microsoft, todas com quotas da ordem dos 10%.

Jorge Carneiro precisou que a Sage tem em Portugal 100 mil utilizadores, dispõe de 1 500 parceiros e teve 40 mil contratos de manutenção e suporte activos em 2012, observando que esses contratos incluem todas as actualizações dos produtos, sem pagamento, e formação online sobre essas actualizações.

Ainda sem comentários