LTE não é um diferenciador competitivo

Publicado em 16/08/2010 19:03 em Geral

É pouco provável que os consumidores optem pelo LTE (Long Term Evolution, tecnologia móvel de quarta geração) com base na velocidade de exportação de ficheiros e o LTE não é por si só um factor diferenciador para a competitividade, defende Mark Nield, responsável da Nokia Siemens Networks (NSN) para a Europa Ocidental.

«Pessoalmente nao estou convencido de que o LTE seja um diferenciador essencial. O que o LTE faz é tornar a banda larga móvel mais acessível porque reduz o custo por megabyte utilizado. Eu não penso que ter a rede mais rápida seja suficiente para atrair muitos consumidores. Não estou convendido de que as pessoas vão comprar velocidade», sublinhou Mark Nield, citado pela Informa Telcoms.

No entanto, Nield afirma quie os ganhos de capacidade e eficência conseguidos com o LTE poderão aumentar bastante o tráfego da banda larga móvel e, aumentando o tráfego, a velocidade não é necessariamente maior.

Para o reszponsável europeu da NSN, a procura crescente de banda larga móvel irá preencher qualquer capacidade que venha a ser disponibilizada.

Mark Nield afirma que a haver uma vantagem competitiva será só para os operadores que sejam os primeiros a adoptar a tecnologia de quarta geração móvel, comparando com as vantagens obtidas por operadores que ganharam numa certa fase a distribuição exclusiva dos iPhone para os respectivos países.

Ainda sem comentários