Receitas da Vodafone caíram no primeiro semestre fiscal

Publicado em 19/11/2012 00:42 em Operadores / Serviços

O volume de negócios da multinacional britânica Vodafone recuou 7,4% no primeiro semestre fiscal 2013 (1 de Abril a 30 de Setembro de 2012), para 21 780 milhões de libras (27 156 milhões de euros), indicou o operador de telecomunicações.

Em comunicado de resultados, a companhia indica, contudo, que numa base orgânica (para o mesmo universo empresarial) a facturação aumentou 0,2%.

As receitas de serviços da Vodafone caíram 7,9% (redução de 0,4% numa base orgânica), para 20 157 milhões de libras (25 119 milhões de euros).

No mesmo período os resultados operacionais cresceram 2,2% homólogos (8,5% numa base orgânica), para 6,17 mil milhões de libras (7,69 mil milhões de euros).

Os prejuízos no primeiro semestre fiscal ascenderam a 1 886 milhões de libras (2,35 mil milhões de euros), que compara com lucros de 6,64 mil milhões de libras em igual período do exercício anterior.

Vittorio Colao, CEO da Vodafone, citado no comunicado, salienta que os resultados revelam as condições de mercado mais difíceis, particularmente na Europa do Sul.

Desde 1 de Agosto de 2012 a estrutura Europa do Sul da Vodafone integra, além de Portugal, a Espanha, Itália, Grécia, Albânia e Malta.

Colao afirma que a Vodafone continuou a fazer progressos nas suas actividades estratégicas e diz que é fundamental para a «estratégia 2015» da Vodafone continuar a investir na melhoria da experiência de consumidores e empresas, investindo continuamente em redes para altas velocidades de transmissão de dados.

Indica que o grupo incorreu em imparidades de 5,9 mil milhões de libras (7,4 mil milhões de euros) em Espanha e Itália devido às difíceis condições de mercado e à evolução adversa das taxas de desconto bancárias («discount rates»).

Adianta que as receitas de serviço na Europa do Norte e Central subiram 1,5% no primeiro semestre, na Europa do Sul caíram 9,8%, na África, Médio Oriente e Ásia/Pacífico cresceram 5,2% e nos Estados Unidos a facturação da participada Verizon Wireless aumentou 8,0%.

Vittorio Colao prevê que no segundo semestre do ano fiscal 2013 o ambiente económico seja semelhante ao da primeira metade do exercício e espera que os resultados operacionais se situem na metade superior do intervalo 11,1 mil milhões a 11,9 mil milhões de libras (13,8 mil milhões a 14,8 mil milhões de euros).

A Vodafone precisa que as receitas de voz caíram 14,0%, para 11,48 mil milhões de libras (14,31 mil milhões de euros), as de mensagens baixaram 10,7%, para 2,39 mil milhões de libras (2,98 mil milhões de euros), as de dados subiram 5,7%, para 3,24 mil milhões de libras (4,03 mil milhões de euros) e as de rede fixa cresceram 10,0%, para 1,98 mil milhões de libras (2,47 mil milhões de euros).

Ainda sem comentários