Receitas grupo PT (excepto Brasil) caíram 4,2%

Publicado em 08/11/2012 23:44 em Operadores / Serviços

As receitas operacionais do grupo PT (excepto Brasil) caíram 4,2% homólogos (face ao mesmo período do ano anterior) nos nove primeiros meses de 2012, para 2 321,3 milhões de euros, revelou hoje a operadora histórica portuguesa.

Em comunicado de divulgação preliminar de resultados publicado no sítio da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a PT revela que as despesas de capital (CAPEX) recuaram 1,4% nos três primeiros trimestres do ano em curso, para 448,6 milhões de euros.

Em relação ao negócio de telecomunicações em Portugal, a PT indica que nos nove primeiros meses do ano os acessos fixos aumentaram 6,3% homólogos, para 5,01 milhões, com os clientes de banda larga a subirem 11,9%, para 1,2 milhões, e os de televisão a cresceram 22,9%, para 1,198 milhões.

A PT diz que o aumento dos clientes de acesso fixo de retalho se deve ao «sólido desempenho do Meo».

Os clientes móveis do grupo (TMN) aumentaram 0,4% homólogos nos três primeiros trimestres, para 7,386 milhões, com um aumento de 5,2% nos clientes de assinatura, para 2,341 milhões, e uma quebra de 1,8% nos pré-pagos, para 5,013 milhões, precisa a PT.

Acrescenta que o aumento dos clientes de assinatura está relacionado com o êxito dos planos tarifários «e nunca acaba mais», que atingiu 973 mil subscritores no fim de Setembro, e do Moche, que tinha 1,36 milhões de clientes na mesma data.

No fim do terceiro trimestre a TMN tinha 914 mil clientes de banda larga móvel, um aumento homólogo de 15,8%, adianta.

No segmento residencial, os acessos fixos de retalho cresceram 9,6%, para 3,79 milhões no fim de Setembro, com 994 mil clientes de banda larga (mais 13,1%) e 1,114 milhões de subscritores do serviço de televisão (mais 22,5%).

A receita média por cliente ARPU) do serviço fixo foi de 31,7 euros em média nos nove primeiros meses do ano, um aumento homólogo de 3,0%.

No serviço móvel, o ARPU caiu 10% nos três primeiros trimestres, para 8,9 euros.

As receitas de dados representaram no período em análise quase um terço (32,9%) da facturação total dos serviços móveis.

Nos clientes móveis empresariais, o ARPU baixou 8,8% nos nove primeiros meses do ano, para 23,9 euros, e as receitas não voz atingiram naquele período 49,0% do total.

Nos negócios internacionais (sem Brasil), a PT teve receitas operacionais de 397,9 milhões de euros nos três primeiros trimestres de 2012, um acréscimo homólogo de 23,4%.

Ainda sem comentários