Redes de ecrãs podem ser «novas redes sociais»

Publicado em 05/08/2010 00:42 em Destaques

A Universidade do Minho afirma que as redes de ecrãs públicos, que são o tema do projecto PD-Net financiado pela Comissão Europeia, poderão ter no futuro um impacto semelhante ao das redes sociais de hoje.

A Universidade do Minho exemplifica que uma loja de fruta poderá recorrer aos ecrãs públicos próximos para divulgar uma promoção de morangos, por exemplo. Os interessados poderão recolher um cupão electrónico de desconto para o produto em promoção.

A Universidade do Minho assinala, em comunicado, que se pode imaginar um jogo através de ecrãs públicos, com uma determinada finalidade, para as crianças que se dirigem à escola que, ao participarem no jogo, poderão receber pequenos prémios.

O projecto, em que participa a Escola de Engenharia da Universidade do Minho, iniciou-se em Maio passado e decorre até 2012, está orçado em 1,44 milhões de euros, financiado pela Comissão Europeia, e envolve tamém universidades do Reino Unido, Alemanha e Suíça.

O projecto, que pretende desenvolver tecnologias visionárias com potencial económico, parte da ideia da implantação de ecrãs em locais públicos ligados em rede, com serviços associados.

O PD-Net visa desenvolver as tecnologias necessárias ao estabelecimento de uma rede de ecrãs diversos colocados em locais públicos e geridos por diversas entidades mas que formem um todo integrado e suportem uma vasta gama de serviços inovadores, adianta aquela universidade.

Rui José, professor do Departamento de Sistemas de Informação daquela escola, citado no comunicado, salienta que essa rede terá «um potencial gigantesco para transformar radicalmente a forma como pensamos na apresentação de informação em espaços públicos e pode gerar um novo poderoso meio de informação global, ao mesmo tempo fortemente baseado na comunicação de proximidade».

Acrescenta que as pessoas poderão utilizar os ecrãs públicos como forma de expressão e interacção social, que deverá ser tão simples como colocar um post no Facebook ou enviar um SMS.

Ainda sem comentários