China e Android dominam smartphones, EUA e Apple lideram nos tablet

Publicado em 14/09/2012 23:48 em Geral

A consultora Canalys prevê que até 2016 as vendas de smartphones cresçam a uma taxa média anual de 19,5% e as de tablet PC a um ritmo de 26,8% ao ano.

As previsões daquela analista de mercados apontam para que a produção de smartphones atinja 1,2 mil milhões de unidades em 2016 e a de tablet PC 207 milhões.

A Canalys espera que a região Ásia/Pacífico lidere as vendas de smartphones, atingindo 594 milhões de terminais em 2016, com a China a representar quase metade das vendas da região e quase um quarto das vendas totais no mundo.

Salienta que os construtores chineses de telemóveis estão a evoluir rapidamente para o fabrico de smartphones, apostando principalmente em equipamentos de baixo preço.

A consultora indica que o maior crescimento das vendas de smartphones ocorrerá na América Latina, com uma taxa média anual de 27,3% de aumento até 2016, data em que só o Brasil e o México representarão mais metade das vendas do subcontinente.

O Android, que em 2011 tinha uma quota de 49% do mercado de sistemas operativos para smartphones, deverá conseguir em 2016 cerca de 57%, enquanto a Apple poderá manter-se nos 18% e o Windows Phone deverá aumentar o seu peso, segundo a consultora.

No mercado de tablets, a Canalys espera que a Apple detenha quase metade do mercado em 2016, enquanto o lançamento do Windows 8 poderá permitir que a quota da Microsoft nos tablet se situe em cerca de 17%.

Adianta que, apesar do impacto de tablets de baixo custo com a plataforma Android, o peso do sistema operativo da Google deverá manter-se estável em cerca de 35%.

Os Estados Unidos deverão dominar as vendas de tablet, duplicando o volume de vendas para 88 milhões de unidades em 2016, com a China a ocupar a segunda posição, com vendas previstas de 20 milhões de unidades.

A Canalys prevê que em 2016 os tablets representem 29% da produção total de computadores e considera que o único produto que pode ameaçar a Apple é o Kindle Fire, uma aposta da livraria Internet Amazon.

Ainda sem comentários