Operadores europeus têm preços LTE abaixo da média mundial

Publicado em 27/08/2012 00:07 em Operadores / Serviços

Os operadores de LTE – Long Term Evolution na Europa estão a procurar novas estratégias de preços baseadas na velocidade oferecida e apresentam planos tarifários com custos que são cerca de metade da média mundial, indica a Wireless Intelligence.

Um estudo daquela consultora e analista de mercado revela que, num ambiente fortemente competitivo, os operadores europeus estão a oferecer um preço médio de 2,50 dólares (2,03 euros) por gigabyte (Gb), pouco mais de metade do que se verifica em média mundial, que é de 4,86 dólares (3,94 euros) por Gb.

A Wireless Intelligence afirma que há hoje 38 operadores com serviços LTE em 18 países europeus e no final do segundo trimestre havia 88 a nível mundial.

A consultora indica que o mercado europeu mais competitivo é o sueco, onde os quatro operadores têm serviços LTE e apresentam um custo que pode ser de 0,63 dólares (0,51 euros) por Gb.

Nos Estados Unidos, o melhor preço do líder mundial em LTE, Verizon Wireless, é de 7,50 dólares (6,09 euros) por Gigabyte.

A Wireless Intelligence destaca que há também uma significativa competição na tecnologia LTE em Portugal, na Alemanha e na Áustria.

Indica que a esmagadora maioria dos operadores europeus inquiridos usam tarifas LTE com base na velocidade contratada, um modelo raramente adoptado fora deste continente. Acrescenta que muitos operadores europeus, confrontados com redes sobrecarregadas, aproveitaram a oportunidade para substituirem as tarifas sem limite de tráfego por modelos com base na velocidade oferecida.

A Wireless Intelligence acrescenta que típicamente as velocidades oferecidas na terceira geração (3G) são os 7,2 Megabits por segundo (Mbps), 14,4 Mbps e 43,2 Mbps.

Adianta que a 7,2 Mbps com 10 Gb de tráfego incluído se verifica um preço médio de 2,30 dólares (1,86 euros), enquanto a 80 Mbps o preço médio por 10 Gb sobe para 44 dólares (35,70 euros).

Um plano sem limite de tráfego custa na Europa em média 35 dólares (28,40 euros) para uma velocidade de 7,2 Mbps e chega aos 76 dólares (61,60 euros) a 80 Mbps.

Calum Dewar, analista da Wireless Intelligence, citado no comunicado, assinala que a relativa maturidade do mercado de banda larga móvel na Europa traduz-se numa concorrência intensa em muitos países e leva a preços mais baixos e à adopção de preços baseados na velocidade oferecida, o que permite que pela primeira vez as tarifas de dados sejam função da qualidade do serviço contratado.

Acrescenta que em Portugal, no caso da Vodafone e TMN, os operadores oferecem tarifas com preços diferentes para um leque de seis velocidades (incluindo HSPA e LTE), o que permite gerir a capacidade das redes de forma mais eficiente e cobrar um «prémio» pelas velocidades mais altas.

Ainda sem comentários