Alcatel-Lucent fornece plataforma que aumenta capacidade da PT

Publicado em 28/07/2010 23:18 em Destaques

A Alcatel-Lucent anunciou um acordo a três anos para fornecer à Portugal Telecom uma plataforma que multiplica por 10 vezes a capacidade de processamento da rede da PT, implementando ligações de 100 Gigabits Ethernet.

A multinacional fabricante de equipamentos e serviços de telecomunicações indica em comunicado que, ao tirar partido da arquitectura High Leverage Network (HLN) da Alcatel-Lucent, a PT vai evoluir para uma rede totalmente IP (protocolo Internet) e convergente IP/MPLS, que suportará novos conteúdos de vídeo e serviços de dados mais ricos.

O MPLS (Multiprotocol Label Switching) é um protocolo de comutação de pacotes de dados de alta performance.

José Camões Vieira, director da Alcatel Lucent Portugal, salientou que a PT tem hoje uma capacidade interna da rede de 10 gigabit Ethernet e vai multiplicar por 10 essa capacidade, com a vantagem de já estar a usar routers da Alcatel-Lucent da mesma família.

O director da multinacional disse ao «Falar de Tecnologia» que a PT usa desde 2006 routers da Alcatel-Lucent da mesma família e com o mesmo sistema de gestão, o que facilita a transição para os equipamentos de maior capacidade.

Camões Vieira salientou que a Alcatel-Lucent é o único fabricante que garante 100 Gigabits com um único tipo de equipamento.

Observou que, com este investimento, a PT será um dos primeiros operadores de telecmunicações do mundo a ter capacidade de endereçamento para o IPv6 (versão 6 do protocolo Internet) e a evoluir para uma arquitectura totalmente IP.

Camões Vieira sublinhou que a plataforma permite oferecer aos clientes uma grande qualidade de serviço com redução de custos para a empresa.

Alfredo Baptista, CTO (administrador executivo para a área da tecnologia) da PT, sublinhou que os tráfegos gerados pelos clientes da PT têm crescido muito e que é necessário aumentar a capacidade da rede para manter e melhorar o nível de serviço aos clientes, com equipamentos que permitam maiores débitos e a fluidez dos serviços.

Em declarações ao «Falar de Tecnologia», Alfredo Baptista sublinhou que as redes da PT estão a ser preparadas para suportar em simultâneo os protocolos IPv6 (novo) e IPv4 (o actual, que tem um número de endereços Internet prestes a esgotar-se), o que implica mais equipamentos e o aumento da capacidade de endereçamento na rede.

O CTO da PT salientou que este investimento permite também uma coerência de serviço «end to end» para os novos serviços e aplicações que são permitidos pela fibra óptica.

Alfredo Baptista destacou que o que está em causa é «tecnologia para o coração da rede da PT».

Indicou que esta solução tem uma abordagem inovadora e é a última geração de tecnologias nesta área.

Ainda sem comentários