Lucros da PT caem para menos de metade, receitas operacionais quase duplicam

Publicado em 18/05/2012 00:09 em Operadores / Serviços

Os lucros da PT no primeiro trimestre de 2012 caíram 56,5% homólogos (face ao mesmo período de 2011), para 56,5 milhões de euros, devido a resultados extraordinários obtidos no primeiro trimestre do ano passado, anunciou hoje a companhia.

Em comunicado de resultados, a PT indica que os proveitos operacionais quase duplicaram, crescendo 97,0%, para 1 715,7 milhões de euros, em resultado de o grupo português de telecomunicações só ter passado a consolidar com o operador brasileiro Oi no segundo trimestre do ano passado.

Sem este efeito de consolidação com a Oi este ano, as receitas operacionais teriam caído 2,7%, para 780 milhões de euros, em resultado do decréscimo de 37 milhões de euros das receitas em Portugal, indica o grupo de telecomunicações nacional.

Os resultados operacionais aumentaram 41%, para 210,2 milhões de euros.

As despesas de capital da PT mais do que duplicatram no primeiro trimestre, com um aumento homólogo de 111,9%, para 258,9 milhões de euros, por efeito da consolidação com o grupo brasileiro Oi, sem a qual o aumento seria de apenas 13,2%.

A PT adianta que as receitas de telecomunicações em Portugal se reduziram 5,2%, devido às pressões ao nível dos preços e do consumo, nomeadamente na administração pública, e pela ausência de novos projectos nas empresas de maior dimensão.

Excluindo o impacto das decisões regulatórias sobre as tarifas de interligação e preços do roaming, as receitas da PT teriam baixado 4,2% no primeiro trimestre, observa.

No segmento residencial as receitas aumentaram 4,6%, devido ao êxito da oferta de «triple play» do Meo, e os clientes de TV por subscrição aumentaram 26,6% homólogos, para 1,035 milhões, afirma a companhia. A receita média por cliente neste sector aumentou 3,2%, para 31,5 euros.

A TMN atingiu 7,457 milhões de clientes no primeiro trimestre (mais 0,6%), com uma redução de 2,0% nos pré-pagos, para 5,008 milhões, e um acrécimo de 6,3% nos pós pagos, para 2,449 milhões, acrescenta. O ARPU baixou 8,8%, para 8,8 euros.

.

Ainda sem comentários