Receitas da SAP Portugal cresceram 4% em 2011

Publicado em 09/05/2012 22:55 em Software

O volume de negócios da SAP Portugal cresceu 4% em 2011, para 54,5 milhões de euros, indicou o director-geral da companhia, Paulo Carvalho.

Em encontro com a imprensa, Paulo Carvalho assinalou que as receitas de software e serviços relacionados com software cresceram 13% no ano passado, admitindo que houve uma redução de receitas na área da consultoria porque a estratégia da companhia é apostar na implementação das soluções pelos seus parceiros (meia centena em Portugal) e focar-se no acompanhamento da qualidade das implementações.

O director-geral da empresa salientou que nos novos contratos, 40% do volume de negócios está relacionado com projectos de empresas nacionais fora de Portugal, incluindo na China e Brasil.

Observou que houve sectores que reduziram o investimentos, como a administração central e local, mas mesmo aí a SAP Portugal conseguiu novos contratos, citando o caso do Hospital de Santa maria e do instituto universitário ISCTE, e adiantou que o governo está também a criar um projecto na área de recursos humanos baseado em software SAP.

Para 2012, Paulo Carvalho indicou que o objectivo da SAP Portugal é crescer, apesar de este ser «um ano muito exigente».

Adiantou que os quatro primeiros meses do ano em curso estiveram em linha com o esperado, mas realçou que o negócio da SAP tem características sazonais e o segundo semestre é mais forte do que o primeiro.

Paulo Carvalho revelou que o número de contratos com pequenas e médias empresas representou no ano passado 79% do total, embora em termos de volume de negócios pesem apenas cerca de 20% do negócio da SAP Portugal.

Paulo Carvalho salientou que a multinacional vai continuar a investir no sector tradicional de software de gestão, em que detém a liderança mundial, mas está a investir em novas áreas de negócio que deverão representar a maior fatia do seu crescimento, em particular na mobilidade, na nuvem («cloud») e na área das bases de dados.

Recordou que a SAP comprou a multinacional de software Sybase, que dispõe de uma plataforma líder na área da mobilidade e tem competências na área das bases de dados.

Recordou que em 2013 o número de acessos móveis à Internet deverá ultrapassar os acessos por rede fixa, o que atesta a importância da área da mobilidade, observando que a plataforma SAP tem hoje 30 aplicações móveis e deverá ter duas centenas até ao fim do ano.

Relativamente à «cloud», destacou que a SAP comprou a Success Factors, uma empresa especializada em aplicações cloud na área de recursos humanos.

Na área das bases de dados, Paulo Carvalho destacou que a multinacional fez um investimento significativo em aquisições e em desenvolvimento interno e indicou que a aposta da SAP é posicionar-se nesta área pela performance, pela segurança e pela redução de custos para os clientes.

Paulo Carvalho sublinhou que o SAP Hana, uma base de dados «in-memory» que permite tratar volumes de dados muito significativos com grande rapidez, apresenta o maior ´crescimento desde o lançamento do software de gestão SAP-R3 em 1990.

Ainda sem comentários