iPhones utilizam mais Wi-Fi que smartphones Android no Reino Unido e EUA

Publicado em 08/04/2012 18:43 em Geral

Os iPhone, da Apple, nos Estados Unidos e Reino Unido utilizam significativamente mais a tecnologia Wi-Fi do que os smartphones com plataforma Android, segundo um estudo da consultora e analista de mercado comScore.

O relatório da comScore indica que 29% dos iPhones e 68% dos smartphones Android dos Estados Unidos ligam-se à Internet apenas utilizando rede móvel de telecomunicações e 71% dos terminais da Apple e 32% dos baseados em Android usam tanto redes de comunicações móveis como Wi-Fi.

No Reino Unido, 13% dos iPhones ligam-se à Internet apenas através de redes móveis de telecomunicações e 87% usam também Wi-Fi, enquanto nos smartphones baseados na plataforma Android, da Google, essas percentagens são de 43% e 57%, respectivamente.

Serge Matta, responsável da comScore para a área dos operadores e comunicações móveis, salienta que com a expansão dos smartphones e tablet PC houve um grande aumento de tráfego de Internet móvel e os operadores enfrentaram alguns dasafios para fazer face ao aumento da procura mantendo a qualidade do serviço.

Defendeu que operadores e fabricantes , num contexto de explosão do tráfego de banda larga móvel e escassez de espectro radioeléctrico, devem entender as diferentes dinâmicas de uso da redes móveis e da tecnologia Wi-Fi e desenvolver estratégias para optimizar recursos e manter uma alta qualidade dos serviços prestados.

A comScore assinala que a diferença entre a utilização preferencial de redes móveis para acesso à Internet nos Estados Unidos (62% usam só redes móveis) e o Reino Unido, onde essa percentagem desce para 31%, exactamente metade, tem a ver com a escassez de planos com tráfego ilimitado e um maior peso de pré-pagos na Grã Bretanha, onde o tráfego de dados é função do consumo, observa Matta.

Nos Estados Unidos, a maior disponibilidade de redes de quarta geração e de planos de tarifas com tráfego ilimitado de dados explica a opção diferente dos norte americanos, acrescenta.

Ainda sem comentários