Receitas da PT em Portugal baixaram em 2011

Publicado em 30/03/2012 20:25 em Geral

As receitas operacionais da PT em Portugal baixaram 7,4% em 2011, para 2892,0 milhões de euros, mas as receitas operacionais totais cresceram 64,3%, para 6 146,8 milhões de euros, anunciou hoje a empresa.

Em comunicado publicado no sítio da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários, a PT indica que o aumento das receitas operacionais totais fica principalmente a dever-se à inclusão de 2 412,1 milhões de euros (5 612 milhões de reais) de receitas operacionais do operador brasileiros Oi, reflectindo a participação de 25,6% que a Portugal Telecom detém na holding Telemar Participações, que controla a Oi.

Os lucros da PT baixaram 94%, para 339,1 milhões de euros, mas também esta evolução está enviesada por os lucros de 2010 reflectirem o elevado encaixe financeiro da venda da participação da Portugal Telecom no operador brasileiro Vivo à espanhola Telefonica.

A PT assinala que a crise económica, a quebra de vendas de equiipamentos, a descida das receitas de interligação por decisões regulatórias e a redução das receitas de clientes são factores explicativos da queda das receitas opercioonais de 2011 em território nacional.

As receitas operacionais da área que inclui a TMN baixaram 11,2%, para 768,4 milhões de euros, e as receitas dos serviços às empresas caíram 9,0%, para 982,1 milhões de euros. Pelo contrário, a facturação do serviço residencial, que inclui o Meo, subiu 5,4%, para 682,3 milhões de euros.

As despesas de capital (CAPEX, investimento) subiram 53,3% em 2011, para 1 223,8 milhões de euros, devido à inclusão de 444,3 milhões de euros de despesas de capital relativas á participação na Oi.

O CAPEX em Portugal baixou 1,6%, para 647,0 milhões de euros, e as despesas de capital atribuíveis às participações em operadores de telecomunicações noutros países (Angola, Namíbia, Cabo Verde, São Tomé e Principe, Macau e Timor Leste) baixaram 6,1%, para 132,5 milhões de euros.

O investimento em Portugal centrou-se na extensão da rede de fibra óptica até casa dos clientes e na aposta na rede de quarta geração da TMN.

O número de clientes do serviço Meo aumentou 25,6% em 2011 face a 2010, para 1,04 milhões, e os subscritores de serviços da TMN aumentaram 0,3%, para 7,444 milhões, com acréscimo de 3,8% nos clientes de assinatura (2,378 milhões) e um recuo de 1,2% nos pré-pegos (5,066 milhões).

Ainda sem comentários