Autoridades dos Estados Unidos apreenderam servidores usados no cibercrime

Publicado em 28/03/2012 00:21 em Segurança Informática

A empresa de segurança informática Sophos indicou que a polícia dos Estados Unidos, acompanhada por informáticos da Unidade de Crimes Digitais da Microsoft, actuaram em edifícios de escritórios nos Estados norte americanos do Illinois e Pennsylvania e apreenderam servidores usados para a difusão de malware.

A Sophos indica que se trata de servidores usados para gerir «botnets» da família do «Zeus», qud usavam os bots «ZeuS», «SpyEye» e «Ice-IX» e que foram responsáveis por quase 500 milhões de dólares (375 milhões de euros) de prejuízos.

Os servidores apreendidos serão agora analisados pelas autoridades e especialistas para tentar identificar quem está por trás das actividades criminosas.

Os «bots» são software malicioso usado para controlar computadores e permitir que as máquinas desempenham automáticamente ou sob comando externo algumas tarefas, sem conhecimento dos proprietários.

Os «bots», uma abreviatura de robot, são malware difundido em larga escala para permitirem a actuação conjunta de um grande número de computadores infectados em ataques concertados, formando uma rede («botnet»).

Quem controla os bots «vende» muitas vezes grupos de centenas ou milhares de computadores infectados para serem usados em ataques informáticos criminosos.

Um computador muito lento é um sinal de alerta para a possibilidade de estar a fazer parte de uma «botnet» e participar em ataques, que consomem recursos do computador e o lentificam.

A Sophos afirma que depois da acção policial não hove sinais evidentes de uma significativa diminuição da actividade dos «bots» «Zeus» porque os «Zeus» e «SpyEye» são vendidos em «kits» que não são afectados por esta acção enquanto estiverem a ser controlados por quem os comprou.

Ainda sem comentários