Lucros Oracle cresceram 22% primeiros nove meses exercício fiscal

Publicado em 25/03/2012 23:12 em Geral

Os lucros da Oracle cresceram 22% nos nove primeiros meses do exercício fiscal 2012, terminados a 29 de Fevereiro, para 6 529 milhões de dólares (4 918 milhões de euros), anunciou a multinacional.

Em comunicado de resultados, a multinacional norte-americana indica que o volume de negócios cresceu 5% nos três primeiros trimestres, atingindo 26 205 milhões de dólares (19 740 milhões de euros).

As receitas de software cresceram 10%, para 17 979 milhões de dólares (13 544 milhões de euros), e aumentaram o seu peso nas receitas totais para 69%, e as de serviços cresceram 3%, para 3 501 milhões de dólares (2 637 milhões de euros), mais do que compensando a queda de 8% nos sistemas de hardware, que baixaram para 4 725 milhões de dólares (3 559 milhões de euros), diminuindo o peso para 18% da facturação.

Nos nove primeiros meses do exercício, os resultados operacionais da Oracle aumentaram 19% e atingiram 9 111 milhões de dólares (6863 milhões de euros).

No terceiro trimestre, concluído a 29 de Fevereiro, a Oracle facturou 9 039 milhões de dólares (6 809 milhões de euros), um aumento de 3%, teve resultados operacionais de 3 317 milhões de dólares (2 499 milhões de euros), um acréscimo de 11%, e lucros de 2 498 milhões de dólares (1 882 milhões de euros), em alta de 18%.

Larry Ellison, presidente executivo da Oracle, citado em comunicado, salientou a performance da sua solução Exalytics com tecnologia de base de dados capaz de processar a análise instantânea de grandes quantidades de dados. Destacou que a Exalytics corre com as aplicações existentes nas empresas, ao contrário de outras soluções oferecidas no mercado.

Safra Catz, presidente e administrador executivo financeiro (CFO) da companhia, salientou que a Oracle está a caminho de atingir este ano as margens operacionais mais elevadas da sua história.

Destacou que isso se deve ao facto de a Oracle ser uma empresa de hardware e software integrado, o que lhe permite focar-se em sistemas de alta rentabilidade em que o hardware e software são concebidos para trabalharem de forma integrada.

Ainda sem comentários