O sonho da energia eléctrica sem fios

Publicado em 13/03/2012 00:48 em Outras Tecnologias

Tornar realidade o sonho da energia eléctrica sem fios é a aposta da empresa norte americana WiTricity Corporation, que está a desenvolver tecnologias para carregar aparelhos à distância, sem fios.

A WiTricity (de Electricity Wireless), ligada ao MIT (Instituto de Tecnologia de Massachussets), está a desenvolver tecnologias para carregar telemóveis , consolas de jogos, computadores portáteis ou robots móveis ou para ter, por exemplo, televisões em funcionamento sem necessidade de quaisquer fios a ligarem às tomadas de electricidade.

A WiTricity assinala que são também necessárias mudanças na forma de carregamento dos automóveis eléctricos e que a Audi está a trabalhar no carregamento sem fios de automóveis utilizando a sua tecnologia.

A WiTricity, fundada em 2007 pelo professor do MIT Marin Soljacic e alguns colegas, financiada por fundos de capital de risco, parte de uma tecnologia desenvolvida em 2005 por uma equipa de físicos do Massachusetts Institute of Technology (MIT) liderada por Soljacic.

A tecnologia, que pertence ao MIT e está licenciada em exclusivo à WiTricity, parte do princípio teórico de que é possível ter dois dispositivos estreitamente ligados por frequências ressonantes que geram um campo magnético contínuo.

A teoria, desenvolvida em 2005, foi comprovada experimentalmente em 2007 quando a equipa de Marin Soljacic conseguiu transferir energia entre dois dispositivos com alta eficiência e numa gama de distâncias que tornam a tecnologia útil no mundo real.

A primeira demonstração permitiu fazer acender uma lâmpada de 60 watts, sem fios, a partir de uma fonte de energia situada a dois metros de distância.

A Audi antevê uma tecnologia que permita ter o seu modelo Audi e-Tron a carregar na garagem de casa, num parque de estacionamento, numa estação de serviço, ou mesmo a partir dos semáforos quando os carros aí param.

Os ciclos curtos de recarga são ideais para as baterias electricas porque quanto mais pequena a diferença de carga entre o início e o fim do carregamento maior é o tempo de vida potencial da bateria, indica Bjorn Elias, responsável de projecto na Audi.

Ainda sem comentários