Piratas informáticos divulgam identidades de agentes da PSP

Publicado em 29/11/2011 14:58 em Segurança Informática

Um grupo de piratas informáticos que se denomina LulzSec Portugal colocou hoje na rede social Twitter os dados pessoais de mais de uma centena de agentes da PSP de Lisboa, alegadamente em resposta à violência policial no dia 24 de Novembro em São Bento, segundo notícias de hoje.

O grupo português, que alegadamente terá entrado em sistemas informáticos do Ministério da Administração Interna, ameaçou continuar a revelar dados pessoais de agentes da polícia.

O primitivo LulzSec era um grupo internacional de piratas informáticos que a 26 de Junho anunciou a cessação de actividades, numa altura em que havia indícios de que algumas polícias estariam próximas de identificar membros do grupo.

No seu «post» de despedida colocado no Twiter, o grupo que dizia ter seis «tripulantes», afirmava: «há 50 dias começamos a navegar no nosso humilde navio num difícil e brutal oceano: a Internet», de que «todos fazemos parte».

Os LulzSec, durante o período em que estiveram em actividade, entraram ou fizeram negação de serviços em sítios Internet como os da CIA, do Senado dos Estados Unidos e de várias polícias ou de empresas multinacionais.

Aparentemente, a actividade dos LulzSec, ao contrário do que na maioria dos casos acontece actualmente, não visava obter proveitos económicos mas pôr em causa o sistema e demonstrar a fragilidade da protecção de sítios que se pretendiam inexpugnáveis. O grupo afirmava acreditar no movimento AntiSec» (anti segurança).

«Por favor não parem. Juntos podemos derrotar os nossos opressores comuns e imbuir-nos do poder e liberdade que desejamos», afirmavam os LulzSec na mensagem de despedida.

Aparentemente este apelo foi ouvido por piratas informáticos portugueses, que até adoptaram a mesma designação do grupo de seis «hackers» internacionais que tantas dores de cabeça deu a instituições oficiais, grandes empresas e polícias.

Ainda sem comentários