Resultados e volume negócios da Glint caíram até Setembro

Publicado em 26/10/2011 00:54 em Empresas

O volume de negócios da tecnológica portuguesa Glintt caiu 15% nos nove primeiros meses de 2011, para 70,29 milhões de euros, com as vendas de equipamentos a reduzirem-se fortemente (menos 32%), anunciou a companhia.

Em comunicado publicado terça-feira no sítio da Comissão de Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a companhia indica que as vendas de produtos próprios baixaram 52% e as vendas de equipamentos de terceiros caíram 24%.

A componente prestação de serviços, que caiu 9%, para 55,18 milhões de euros, aumentou o seu peso na facturação de 73% nos três primeiros trimestres do ano passado para 78% em igual período de 2011.

Os resultados líquidos diminuíram 78%, para 678 mil euros, e os resultados operacionais brutos recuaram 27%, para cerca de 5 milhões de euros.

A Glintt indica que a quebra nos resultados líquidos é em grande medida justificada por custos de reestruturação e internacionalização, que somaram 1,2 milhões de euros, e pelo agravamento dos custos financeiros em 540 mil euros.

Para o conjunto do ano 2011, a Glintt espera uma queda de facturação entre 10 e 12% comparando com 2010 e prevê continuar a desenvolver o seu processo de internacionalização.

A tecnológica ligada ao grupo Associação Nacional de Farmácias anunciou, também em comunicado publicado no sítio da CMVM, que autonomizou a sua área de negócios de Consultoria da sua filial Glint BS numa nova sociedade, que será também detida a 100% pelo grupo.

Adianta que esta decisão se integra na estratégia de organizar a Glintt em quatro grandes áreas de negócio: Glintt Farma (indústria farmacêutica), Glintt Energy, Glint Products e Glint Consulting & Services.

Ainda sem comentários