Comunicações móveis podem aumentar rendimento dos agricultores

Publicado em 11/10/2011 00:22 em Geral

As comunicações móveis podem aumentar significativamente o rendimento dos agricultores nalguns dos países mais pobres do mundo, segundo um relatório da multinacional Vodafone.

O efeito das comunicações móveis no rendimento dos agricultores dos países em desenvolvimento poderá ascender em 2020 a 138 mil milhões de dólares (101 mil milhões de euros), segundo um programa de investigação realizado pelo operador internacional de telecomunicações Vodafone e a consultora Accenture, hoje divulgado.

O estudo tem em conta os benefícios potenciais da utilização de serviços móveis de dados, como as previsões meteorológicas, informações do mercado de matérias primas e o acesso a serviços de banca móvel.

O relatório salienta que a população mundial deve exceder os 9 mil milhões em 2050 [actualmente está estimada em quase 7 mil milhões e deverá ultrapassar essa marca em Abril de 2012], o que requer um aumento de 70% da produção de bens alimentares quando comparada com os níveis de 2006, prevendo-se que a maior contribuição para esse acréscimo venha de países em desenvolvimento, indica o documento.

O relatório da multinacional Vodafone e da Accenture diz que 80% do estimado acréscimo de rendimento de 138 mil milhões de dólares dos agricultores dos países em desenvolvimento virão de serviços de transferências bancárias, de serviços móveis de informação úteis e de serviços de apoio online em áreas como o controlo de pragas ou para enfrentar a escassez de água.

A investigação concluiu que aumentos adicionais dos rendimentos dos agricultores de países em desenvolvimento decorrerão do uso de tecnologias de comunicação avançadas na produção alimentar e na distribuição, com serviços que permitirão desenvolver sistemas de logística de distribuição detalhados.

O CEO do grupo Vodafone, Vitorio Colao, citado em comunicado, observa que as comunicações móveis estão já a transformar a forma como vivem centenas de milhões de pessoas de uma forma inimaginável há uma década.

Acrescenta que os pequenos agricultores dos países em desenvolvimento estão vulneráveis e é necessário um forte aumento da sua produtividade para evitar situações de escassez alimentar para as gerações futuras.

Ainda sem comentários