Kindle Fire, da Amazon, pode fazer tremer Apple e Google

Publicado em 01/10/2011 01:39 em Opinião

O tablet Kindle Fire, da Amazon, ameaça sacudir o mercado de media Tablet PC e pode fazer tremer a liderança do iPad e o crescimento da plataforma Android, beneficiando da notoriedade daquela loja online e de um preço muito competitivo.

No site da Amazon já se podem fazer encomendas do Kindle Fire, que estará disponível a partir de 15 de Novembro por um preço de 199 dólares (cerca de 149 euros).

Trata-se de um tablet PC com ecrã multi-touch de 7 polegadas, o que alguns analistas consideram que será um «handicap» porque o mínimo seria 10 polegadas. Mas a Sony lançou há dias um tablet PC com ecrã de 9,4 polegadas.

Maior deficiência será o facto de o Kindle Fire, ao que se sabe, não dispor de câmara fotográfica, além de apenas ter ligação Wi-Fi e, para já, não contar com uma versão 3G. Mas muitos dos tablet que têm vindo a ser lançados no mercado surgiram, pelo menos inicialmente, em versões que não suportavam redes móveis 3G.

O Kindle Fire terá como suporte a multiplicidade de conteúdos e aplicações disponíveis na loja online Amazon.

Siegler, um jornalista que garante ter já testado o tablet, diz que a plataforma do Kindle Fire teria sido desenvolvida pela Amazon a partir da versão «open source» do Android, mas que deu origem a um produto bastante diferente do Android

O mesmo jornalista afirma que virá a sair uma versão com ecrã de 10 polegadas mas que não está prevista para antes da quadra natalícia.

Se é um facto que quem compra o iPad, da Apple, dificilmente optará pelo dispositivo da Amazon, não é menos verdade que numa fase em que se antevê uma explosão dos tablet PC e num contexto de abrandamento económico nos países industrializados, o Kindle Fire pode ter margem para vender num segmento de tablet de gama mais baixa e fazer perigar o domínio deste segmento pela Apple, que no segundo trimestre tinha mais de dois terços de quota de mercado.

Relativamente aos tablet baseados no Android, a plataforma escolhida por muitas marcas que se lançaram neste mercado, o Kindle Fire poderá travar a tendência de crescimento dos tablet com o sistema operativo da Google, que no segundo trimestre representavam cerca de 27% do mercado.

Também não se conhece qual será a evolução do Kindle Fire, nomeadamente na falada versão com ecrã de 10 polegadas, se virá a surgir com 3G e se futuras versões terão câmara fotográfica.

Mas os menos de 150 euros que custa esta primeira versão poderá levar muitas pessoas que gostariam de ter um media tablet mas não conseguem pagar os preços, geralmente acima de 400 euros, que custam os media tablet lançados no mercado a optar por este media tablet de baixo custo e com a chancela da Amazon.





FV

Ainda sem comentários