Norton apresenta versões 2012 e anuncia protecção para tablets Android

Publicado em 19/09/2011 19:38 em Segurança Informática

A Norton apresentou hoje as novas funcionalidades do seu Internet Security 2012 e Anti-vírus 2012 e anunciou o lançamento em Outubro/Novembro de uma solução de segurança para tablets com a plataforma Android.

Em encontro com a imprensa, Stephan Weshe apresentou novas funcionalidades do Norton (marca da Symantec) na área da protecção de identidade, percepção da largura de banda da ligação Internet, o que permite poupar recursos, marca de segurança Norton, que aparece nos resultados de pesquisa e certifica se o site é seguro, e gestor de arranque, que permite ao utilizador escolher as aplicações que abrem no arranque do computador.

Indicou que o comportamento do software melhorou com novas versões do Download Insight, que verifica cada ficheiro descarregado antes de este ser instalado, o Sonar, que monitoriza aplicações que se abrem automatícamente e/ou que tem comportamentos suspeitos, para desactivar ameaças ainda desconhecidas.

Stephan Weshe disse que o mundo já não está centrado nos PC e a explosão do uso de dispositivos como smartphones e tablets, e, embora ainda não haja muito malware móvel, este está a crescer exponencialmente.

A Norton disponibiliza gratuitamente uma versão básica para protecção de smartphones, nomeadamente com plataformas Symbian e Android, e uma versão completa, para venda, que, além de protecção anti-malware, inclui protecção da informação e identidade, bloqueamento de chamadas e SMS, possibilidade de bloquear remotamente e localizar um terminal perdido ou roubado, observou.

Indicou que a solução de segurança para tablet PC com plataforma Android sairá no fim de Outubro/ princípio de Novembro e irão saindo posteriormente soluções de segurança para outros sistemas operativos móveis.

Os responsáveis da Symantec explicaram que a opção pelo sistema operativo Android tem a ver com o facto de este ser um dos mais usados e por ser a plataforma móvel com mais ataques de malware.

Salvador Tapia, da Norton ibérica, previu que os cibercriminosos vão apostar na realização do campeonato de futebol e dos jogos olímpicos no Brasil para lançar ataques relacionados com esses eventos, em português e visando o conjunto dos países lusófonos, principalmente Brasil e Portugal.

Salvador Tapia apresentou o relatório Norton do Cibercrime em que se estima que os custos daquelas actividades criminosas (dados de 24 países) ascenderam a 388 mil milhões de dólares (284 mil milhões de euros) e os custos directos (dinheiro roubado e custos do combate ao crime informático) alcançou os 114 mil milhões de dólares (84 mil milhões de euros).

Das pessoas que usam Internet, 69% já foi alguma vez alvo de cibercrimes, quase dois terços dos quais nos últimos 12 meses.

Um em cada 10 adultos que utilizam Internet no telemóvel já foi afectado por ataques informáticos.

O relatório indica que mais de dois em cada cinco adultos não tem software de segurança actualizado.

Em média, um adulto passa 24 horas por semana na Net, sendo que os homens gastam 25 horas e as mulheres 23 horas.

As mulheres (66%) ligam-se mais às redes sociais do que os homens (58%), comunicam mais online com amigos (67% contra 62%) e fazem mais compras na Net (52%, contra 50% dos homens).

Os homens (23%) visualizam mais conteúdos para adultos na Net do que as mulheres (6%), comunicam mais com estranhos (28% contra 22%) e participam mais em encontros amorosos online (10% dos homens, 5% das mulheres).

O estudo revela que a probabilidade de ser vítima de cibercrime aumenta com o número semanal de horas que se passa na Net, é maior para quem utiliza redes Wi-Fi públicas gratuitas e sobe nos que vêem online conteúdos para adultos.

Os que mentiram online, deturpando dados pessoais ou assumindo uma identidade falsa, têm estatisticamente mais probabilidade de ser vítimas da pirataria informática, indica o relatório.

Ainda sem comentários