Serviços de Comunicações: Aumento da satisfação dos clientes é prioridade

Publicado em 30/03/2010 13:18 em Operadores / Serviços

O aumento da satisfação dos clientes é considerado o mais importante objectivo estratégico para mais de metade dos responsáveis dos fornecedores de serviços de comunicações (CSP na sigla inglesa) ouvidos num estudo da Nokia Siemens Networks (NSN).



O estudo da NSN, fornecedora de redes e equipamentos de telecomunicações detida em partes iguais pelas multinacionais finlandesa Nokia e alemã Siemens, assinala que a redução dos custos operacionais foi o principal objectivo apontado por 37% dos inquiridos.



Mais de um terço apontou como uma preocupação central a identificação de novas fontes de receitas. Quase 70% dos inquiridos encara os pacotes de conteúdos como uma área de crescimento.



Os operadores vêem como principais «frentes de batalha» num mercado altamente competitivo a performance das suas redes, seguida dos preços e dos serviços inovadores.



A Internet transformou a forma de acesso aos serviços, conteúdos e aplicações e os CSP estão a focar-se nas transformações organizacionais que lhe permitam oferecer serviços de nova geração e competir com as organizações da Internet, sublinha o estudo.



A maioria dos operadores ou planeia ou está a trabalhar na simplificação da arquitectura das suas redes de telecomunicações para reagir rapidamente a desenvolvimentos competitivos através da célere introdução de novos serviços, indica o relatório.



Os operadores estão igualmente focados no segmento empresarial e ao facto de as fronteiras entre as telecomunicações e as tecnonologias da informação se estarem a esbater.



Os operadores vêem as empresas como uma fonte chave de receitas adicionais nos próximos três anos, depois da Internet móvel e fixa.



O estudo indica que os operadores encaram actualmente menos como uma ameaça empresas Internet, como o Google, e consideram-nos possíveis parceiros para o lançamento de novas ofertas.



O «Business Needs Study 2009» baseou-se em entrevistas com executivos séniores de companhias fornecedoras de serviços de comunicações de 42 países.

Ainda sem comentários